Aprenda a dizer não! E seja feliz!
Postado por Carolina, no dia 16 June 2017
A Arte de dizer “NÃO”!!!

Quero que você comece a contar quantas vezes você disse “SIM”, querendo dizer um bom e belo “NÃO”! Inúmeras ou infinitas vezes? Eu sei que você nem consegue contabilizar! E tudo isso por que? Porque você tem medo de desagradar o outro, tem necessidade de aprovação das pessoas, tem medo, muito medo mesmo da REJEIÇÃO! Isso tudo tem a ver com a tua baixa autoestima!


Bom, a AUTOESTIMA, ao contrário do que a maioria pensa, não é “ALTA” de grande, escreve-se “autoestima” porque trata de si e estima é a estima que você tem de si, o CONCEITO de você faz de si mesmo, e este pode ser ALTO (com a letra L) ou baixo. Ter uma BAIXA autoestima é ter um conceito bem pequeno, bem ruim de você mesmo e isso gera uma super insegurança, fazendo com que você tenha a enorme necessidade de querer sempre estar agradando as pessoas custe o que custar! Só que, esse custo está sendo somente para você, para os demais, force só fornece os benefícios. Quer saber do que mais? As pessoas ao teu redor identificam essa tua baixa autoestima e consequentemente, a tua insegurança e pedem as coisas mais bizarras porque sabem que você tem uma incapacidade quase biológica de dizer um super ‘NÃO”!


Devo tocar na parte onde essa tua incapacidade de dizer “NÃO” te traz danos psicológicos tais como uma indigesta ressaca moral quase que permanente, porque você faz tudo sem querer fazer e depois fica se odiando e se perguntando porque cedeu quando deveria ter negado. Essa ressaca moral, esse “se odiar” por sempre se colocar nesse tipo de situação gera sintomas físicos, que pode ser de um simples resfriado até uma crise de pânico ou fibromialgia (pessoas que sentem dores reais pelo corpo todo, porém não existe doença). Isso nada mais é que o teu inconsciente te mandando alertas incômodos para você prestar atenção em si mesma, como você está sendo totalmente contraditório aos teus desejos! Até você ouvir a voz do teu inconsciente, que muitas vezes não é nada sutil, esses sintomas não cessarão e apenas ficarão migrando de lugar, parecendo que você está sempre doente. Claro que quando você for ao médico e fizer um checkup geral não dará nada e você parecera um maluco! Amigos, a voz do inconsciente não para até ser ouvida.

Certa vez atendi uma “analisanda” (termo usado para clientes de psicanálise), cuja profissão era de esteticista, e ela se queixava que nunca parava em emprego algum, e em analise, descobri que ela sempre que ingressava em um novo emprego, fazia amizades rapidamente com todos, agradava todo mundo fazendo favores que nem competiam a ela, fazia bolos e doces em casa para dar de presente aos colegas de trabalho, mas sempre era dispensada em questão de 3 meses em média. Ora, descobri que as atitudes dela com os colegas não eram nada espontâneas, mas sim, planejadas para quem sabe “ganhar” pessoas, afeto e confiança de todos. Percebendo isso, os colegas mais espertinhos abusavam dela pedindo todo tipo de coisas e ela querendo agradar, não dia “NÃO”. Ela se odiava, vivia doente com sinusite, rinite e sempre gripada. Claro, amigos, a incoerência do que ela era com o que ela fazia era latente! Entretanto, ela não fazia porque era solicita ou boazinha, claro que não! Só que as pessoas percebiam e ela passava a ser vista como uma pessoa falsa, exagerada, grudenta. Essa moça ficava sempre frustrada, decepcionada porque ela fazia tudo isso e não recebia o afeto e a atenção que ela almejava e assim passava a falar mal de todos para todos causando uma super rede de intrigas e fofocas culminando com a demissão precoce dela. Percebam, ela NUNCA parava em emprego alguém e vivia doente!

Claro que todos nós já fizemos algo semelhante em maior ou menor escala, e o que eu quero contando essa história real é fazer com que você se conscientize dos malefícios que é não saber se posicionar diante de si mesma e consequentemente dos outros.
Como dizer ‘NÃO”, Toalá? – Simples, dizendo NÃO sem medo de desagradar! Não é necessário ser grosso ou seco com as pessoas, mas ser firme e coerente com você mesmo.
Um exemplo rápido: quando vamos viajar alguém sempre pede para trazer algo, o que é um grande tormento e atrapalha todo o roteiro, é ou não é? Muita gente volta de uma viagem muitas vezes com mil malas e encomendas até para primo do primo de um amigo que você jamais viu. Quando alguém te interpelar você diz diretamente: “Não. Estou indo viajar, descansar e não trarei nada para ninguém, esse tempo eu tirei para mim e para minha família”.  Não se justifique, não minta, não invente historinhas para se proteger do medo da rejeição e do medo de desagradar. Acredite, AS PESSOAS RESPEITAM QUEM SE RESPEITA e falar não é apenas uma questão de habito.

Comece um com simples “NÃO” e todas as vezes que você se perceber em uma situação onde sente a necessidade de agradar, lembre-se: quem é teu amigo, tem que respeita e te ama, entenderá e admirará tua nova postura diante de si mesmo.