15 Preços que Mostram Como o Brasileiro é o MAIS RICO – ou o mais otário – do mundo
Postado por Carol Capel, no dia 03 January 2017
Just saying...

1) Este ovo de páscoa, fabricado no Brasil e vendido 5 vezes mais barato nos Estados Unidos.


Você provavelmente já está cansado das velhas comparações entre ovos de páscoa e barra de chocolate, não é mesmo? Pois é. Desta vez a comparação é entre um mesmo produto, só que em dois países distintos. Qual a diferença? O produto vendido lá fora vem direto das fábricas da Garoto no Brasil.

Nos Estados Unidos, no entanto, o preço é de R$ 6,40. Por aqui: R$ 30.

No Reino Unido ou no Japão, a discrepância se confirma. Um ovo de páscoa “Kit Kat”, pode ser encontrado em Londres por 1 libra, ou R$ 5, por aqui, R$ 53,89. No Japão, a diferença é um pouco menor. Os ovos de páscoa podem sair por um pouco menos da metade. Tudo fabricado por aqui.

2) Estas duas casas têm o mesmo preço: uma em Osasco, no Brasil, e outra Memphis, nos Estados Unidos.


Se a existência de uma bolha imobiliária no Brasil ainda é algo bastante discutido, é certo que há preços por aqui que não parecem fazer lá muito sentido.

As duas casas acima têm preços semelhantes. A brasileira, de Osasco, sai por R$ 320 mil. A americana, de Memphis, por R$ 285 mil, ou US$ 89 mil.

Na média, um trabalhador de Osasco precisa trabalhar 12 anos para pagar esta casa, contra 2,5 anos de um trabalhador de Memphis.

3) O iPhone mais caro do mundo.


Quando o assunto são eletrônicos, damos um show à parte. Não apenas nosso iPhone 6 é o mais caro do planeta, como diversos outros itens, de televisões a câmeras fotográficas, não ficam atrás. Trabalhar com tecnologia no Brasil pode não ser muito fácil.

Como bem mostraram alguns sites na época do lançamento do Iphone 5 no Brasil, você poderia muito bem viajar para Nova York, hospedar-se por 2 dias na cidade, comprar seu Iphone por lá, e voltar com ele pelo Brasil, trazendo um troco da compra.

4) O quarto ingresso de cinema mais caro do mundo.


Fazer o cinema nacional florescer tem sido um dos assuntos mais relevantes no Brasil quando se trata de cultura. Entre financiamentos e subsídios concedidos, são quase R$ 300 milhões anuais destinados à categoria.

Na hora de pegar a fila e comprar a pipoca para ver aquele filme ansiosamente aguardado, porém, os brasileiros têm de encarar uma realidade um pouco mais complicada: o preço do ingresso de cinema.

Nosso ingresso é o quarto mais caro do mundo – sendo o mais caro do mundo o da Nigéria, que, não por acaso, possui uma das mais amplas leis de subsídio para estudantes no gênero (o mais barato é o de Singapura, o país economicamente mais livre do mundo). Segundo a mesma pesquisa, 75% dos ingressos vendidos em estados como Minas Gerais, seria de “meias-entradas”.

5) O Playstation mais caro do mundo também é nosso.


Vida de gamer não é nada fácil. Enquanto no resto do mundo a indústria de videogames cresce e gera milhões de empregos, superando até mesmo o faturamento da indústria cinematográfica, por aqui os apaixonados – ou aqueles que simplesmente buscam um entretenimento – ainda têm que encarar uma dura realidade: consoles de videogames são quase proibitivos. No caso do Playstation, o custo pode chegar a R$ 4 mil, sendo quase 60% deste valor equivalente a impostos e taxas. É o mais caro do mundo.

6) Estes dois carros que um brasileiro e um europeu podem comprar e que custam quase o mesmo preço.


X


O Fiat Uno brasileiro básico sai por R$ 39,850 ou US$ 12,4 mil. Um outro acessório aqui e ali, e o preço já bate o de um Honda Civic europeu, que sai por US$ 15,6 mil.

Na comparação feita pela CSM South America, as opções para os brasileiros não parecem nada racionais, como comprar um Corsa pelo valor de um Hyundai i30 ou um Astra pelo preço que se compraria um BMW3.

7) Qual desses dois casarões é o mais caro? O de cima, construído em São Paulo em 1930, ou de baixo, construído em Chicago, em 1900?



X



Resposta: a mansão paulista, de 7 quartos e 7 banheiros vale R$ 4,5 milhões, o “casebre” americano sai por US$ 1 milhão, ou R$ 3,2 milhões.

Detalhe: o casarão americano possui 1 quarto e 1 banheiro a menos.

Confira outras imagens aqui.

8) Este simples creme de barbear, vendido nos EUA por quase 6 vezes menos.


Sorte sua que barba está na moda.

9) O quarto minuto de telefonia mais caro do mundo.


Talvez você já tenha reparado, mas nossa telefonia não é lá um exemplo para o mundo, não é mesmo? Por aqui, temos 7 operadoras de telefonia móvel, contra 84 nos Estados Unidos, e outras 8 de telefonia fixa, contra 92 americanas.

Se alguma vez você já se perguntou por que gigantes mundiais do setor não costumam desembarcar por aqui, uma boa dica pode estar nesta entrevista do presidente da Unicel.

Por aqui, o preço médio do minuto fica em US$ 0,53, segundo a União Internacional de Telecomunicações, UIT. Segundo o ranking, que inclui 166 países, estamos atrás apenas da Grécia, Suíça e França.

10) O ingresso de futebol mais caro do mundo.


Para mim uma forma bem clara de resolver isso seria não ir ao jogo, mas sabe como é né, brasileiro apenas sabe protestar nas redes sociais, na vida mesmo, a gente aceita tudo, engole tudo, mesmo que a seco, sem se manifestar de verdade.

Para a BBC, o vôlei é o esporte mais popular do Brasil – o futebol é a religião mais popular. Não é novidade que o esporte está intimamente ligado ao país. Quase todo mundo, fanático ou não, possui um time pra chamar de seu.

Ir a um estádio, porém, não costuma ter a mesma popularidade. E segundo a Pluri Consultoria, nossos estádios possuem médias de público menores do que a de países como Japão ou Costa Rica. Uma das razões para isso está justamente no preço do ingresso. Em relação à renda da população, nenhum país possui um ingresso tão caro.

11) A terceira tarifa de energia mais cara do mundo.


Poucas coisas poderiam dar mais motivos de orgulho para os brasileiros do que o fato de termos uma das matrizes energéticas mais limpas do planeta. Por aqui, geramos por meio de hidrelétricas boa parte do que consumimos, além de nos destacarmos no crescimento de fontes sustentáveis, como a energia eólica.

Tudo muito bonito, exceto por um pequeno fator: nossa energia também está entre as mais caras do mundo. Erros de planejamento e burocracias que impedem a construção de novas fontes geradoras são algumas das causas, além dos impostos no setor, que podem chegar a 45% do preço final.

12) A segunda internet mais cara do mundo.


O Brasil pode comemorar o título de um dos países mais conectados do planeta. São mais de 81 milhões de brasileiros online. O problema, segundo a Fundação Getúlio Vergas, está no custo desembolsado por cada um. Trabalhamos por aqui em média 5,01 horas por mês para bancar uma internet de 1Mbps.

No mundo, ganhamos apenas da vizinha Argentina, na pesquisa realizada em 2013.

O primeiro lugar fica com o Japão, onde é preciso trabalhar 0,015 horas por mês para comprar o mesmo pacote de serviços.

13) Este carro que nos EUA custa 13 salários mínimos, e no Brasil, 71.


Os carros não escapam da comparação. O Ford Focus S, por exemplo: nos Estados Unidos, o modelo sai por 13 salários mínimos locais (US$ 16 mil, ou R$ 51 mil). Por aqui, 71 salários mínimos, ou R$ 65,1 mil.

Claro, você ainda terá de pagar o IPVA anualmente. Por aqui: R$ 1391, por lá, R$ 134,4.

14) O enxoval do seu bebê, que pode sair pela metade do preço em Orlando ou Miami.


Uma viagem de ida e volta para Miami pode não ser um programa muito barato (aproximadamente R$ 2 mil, fora hospedagem), mas quando os impostos brasileiros entram em jogo, tudo parece mudar de figura.

Para muitas mães, a qualidade dos produtos e os preços atrativos justificam uma viagem para Orlando ou Miami, na Flórida, com direito a um festival de compras para o bebê. Confiram o vídeo que eu gravei na Buy Buy Baby ano passado mostrando os preços do Enxoval de Bebê.

15) Este carro fabricado no Brasil e vendido mais barato na Argentina e no México.


O Strada Working é o carro mais exportado pela Fiat brasileira. Seus principais destinos são com frequência, México e Argentina. Como produtos exportados no Brasil são isentos de ICMS, os veículos chegam nos países de destino com preços muito mais competitivos. Podem custar por lá, quase 15% menos, no caso das versões completas em relação ao modelo básico vendido por aqui.

E POR ÚLTIMO, MAS NÃO MENOS IMPORTANTE...

Meu pai me mandou essa foto direto do Brasil INDIGNADO com isso, ele experimentou o refrigerante Canadá Dry aqui nos EUA e amou, é o meu favorito também, feito de gengibre, daí ele foi no mercado do Brasil e me mandou essa foto:


Enquanto isso, aqui nos EUA:


Fonte: SPOTNIKS

Beijos
Carol Capel