Sobre Ser Dono de Um Restaurante
Postado por Carol Capel, no dia 18 November 2016
Escrevo esse post na madruga boladona 01:43 agora, sem sono, no celular mesmo, sem fotos! Sei que tem gente que só vê as fotos dos posts e não lê, foi mal cara, esse vai ficar sem foto meixxxxxmo!

Eu amo comer fora, sempre gostei, no Brasil já gostava, agora então, sempre gosto de experimentar coisas novas, tenho feito isso desde então. Meu marido sempre teve um sonho de ser dono de uma padaria, não sei se ele levaria isso mesmo a sério ou se é mais pra comer as coisas boas que saem da cozinha sem ter que pagar por elas, certamente daria prejuízo.

Já eu nunca quis ter nada relacionado ao ramo, pois eu não sou do tipo de pessoa que acorda todos os dias feliz e certamente se eu estivesse em um dos meus dias "azedos", que são quase que 2/3 do mês eu acabaria com toda a reputação do local, pois nesse dia o bolo desandaria, o arroz ficaria Salgado demais e o feijão duro. Eu não sirvo pra ter nada no ramo de restaurante. Acho que algumas pessoas deveriam colocar a mãozinha na consciência e pensar igual eu, analisar se serve ou não pra ter restaurante.

Sabe? Quando você sai pra almoçar ou jantar com a sua família você quer ter um momento agradável e quer que a comida seja, no mínimo feita com carinho, é o mínimo que você espera. Já fui em diversos lugares que voltaria com certeza e volto! Às vezes o garçom não tenha sido tão atencioso naquele dia, mas a comida valeu a pena, ou alguma coisa aconteceu que foi legal e mesmo tendo demorado seu pedido, você voltaria!

Mas tem uns lugares que não dá! Sério!

Ano passado reclamei em um vídeo no YouTube sobre uma intoxicação alimentar que tive por causa de um restaurante de temakis, "quem me acompanha sabe". Vira e mexe me dá uma vontade do capiroto de comer Temaki, tenho isso, no Brasil eu comia sempre! Daí houve esse caso e um dia desses fomos em outro lugar que vendia Temakis que já havíamos ido antes (e não havíamos tido problema), e adivinhem? Comida azeda! Azeda mesmo sabe? Arroz com gosto estragado, fiquei virada o dia todo! Credo!

Mas o intuito desse post não é reclamar de restaurante xexelento, porque nem vale a pena. O intuito é tentar entender por quê a pessoa insiste se não nasceu pra aquilo?
Ou se ela quer mesmo insistir, onde está o respeito pelo próximo? Servir comida estragada só pra não desandar seu caixa do mês? Ou pra não cagar seu fluxo de caixa? O que eu cliente tenho a ver com suas dívidas? Se prestou a fazer um restaurante, faça direito oras!

Um dia desses conversando com um amigo meu japonês que é sushiman ele me disse uma coisa que me tocou muito, ele disse que ser sushiman não é apenas vender sushi por lucro, é uma arte e que quando você se torna sushiman você aprende a viver de uma forma diferente, ele disse que a vida da pessoa passa a ser diferente. E eu vejo por aí um monte de babaca que, só porque não tem cultura nenhuma, quer destruir a cultura dos outros.

Sushi não é Green Card amigo, sushi é arte! Tanto pra quem come quanto pra quem faz!

E é por esse motivo que eu não teria um restaurante, porque eu tenho meus altos e baixos, muito mais baixos que altos e eu não tenho a cara de pau suficiente de brincar com a vida de outras pessoas servindo peixe cru estragado, porque isso é muito sério, isso é crime, isso é vergonhoso.

Antes de abrir um restaurante, de qualquer comida que seja, pense que você está lidando com a saúde dos outros e que você tem suas responsabilidades. Não faça apenas por Green Card ou por dinheiro!

Beijos amargos, com a boca amarga de comida azeda.
Carol Capel