Como é o Atendimento de Saúde Pública na Itália? Meu drama com Pedras nos Rins!
Postado por Carol Capel, no dia 13 December 2017
Era por volta de 11h da noite quando eu tinha acabado de jantar, peguei o computador do Marcelo e me sentei no sofá para jogar um jogo. Quando de repente comecei a sentir um desconforto na região lombar. O mais engraçado é que devido às minhas milhares de crises renais eu já logo desconfiei o que era: PEDRA NO RIM! Assim como toda boa cólica renal que se preze, essa não foi diferente e em menos de 1 - 2 minutos a dor já estava insuportável! Foi então que eu falei: “só me faltava essa, não falta mais nada.” Afinal de contas quem me assiste sabe que eu moro no fim do mundo. A dor foi ficando insuportável e então me lembrei do número da emergência italiana 118. Peguei o celular e já pedi pro Marcelo ir correndo pegar um acetaminophen (remédio milagroso para cólicas menstruais que eu trouxe dos EUA). 

No telefone: 

Liguei e em menos de 1 toque o serviço de emergência nacional me atendeu. Eu, sem falar direito Italiano disse: PRECISO DE UMA AMBULÂNCIA PER GIGNESE!!! Dai o cara que me atendeu cismou que precisava colocar um tradutor português-italiano na linha. Meia noite e ele procurando o bendito tradutor. Depois de 8 minutos me volta ele: Senhora, não encontrei o tradutor! Dai eu: amigo, procure um tradutor Inglês - italiano que eu falo inglês! Ele prontamente voltou na língua com um tradutor de inglês italiano. Dica #1: Cada dia mais e mais eu percebo o quanto falar inglês literalmente me salva. A mulher confirmou meus dados, meu endereço e disse que iria mandar uma ambulância. 


Então, você não precisa falar todas as línguas do mundo, apenas: inglês e espanhol e você sobreviverá em uma emergência. Em menos de 20 minutos a ambulância estava na minha porta. Graças ao acetaminophen, que é milagroso, eu não estava com tanta dor. Os três moços da Cruz vermelha italiana entraram na minha casa e acredite: Dois deles falavam inglês muito bem. Eu como não sou trouxa e nem nada já logo aprendi como se falam as palavras mais importantes pro meu caso: “cólica renali” E outras várias! Fui removida pro hospital quase que sem dor mas vomitando na ambulância. Ao chegar no hospital veio o primeiro choque de realidade! Pra nos que moramos nos EUA, qualquer hospital na Itália vai ser um choque mesmo. 


Porque lá nos EUA não existem hospitais públicos, então as instalações lá são verdadeiras “obras de arte”. Você pode imaginar meu susto ao ver o naipe do hospital italiano. Ao chegar eles foram fazer minha “registrazione” e a enfermeira que não estava nem um pouco a fim de ajudar não conseguia encontrar o nome da minha cidade no sistema! É tão fim do mundo que nem no sistema tem. Depois de umas 4 tentativas ela me registrou, os paramédicos da ambulância foram embora e ela me pediu pra aguardar na sala da emergência. Alguns minutos depois uma médica chegou e me pediu para entrar na sala, fez um exame clínico apalpando e constatou que realmente poderia ser uma crise renal.

 Ela já ali mesmo na sala sacou um aparelho de ultrassom que foi algo que me surpreendeu porque nos EUA eles não fazem ultrassom e sim: Cat-scan que é uma tomografia computadorizada. Fazia 3 anos que eu não via um aparelho de Ultrassom. Ela olhou meus rins em menos de 0.5 minuto e eu achei muito rápido. Depois veio a mesma enfermeira que não conseguia achar a cidade no sistema, tirar sangue de mim. O que mais me assustou foi que ela não conseguiu pegar minhas veias e fez um verdadeiro estrago no meu braço em menos de 1 min. 

Conclusão: 

Não tinha pedra no rim, provavelmente no caminho para sair. Se fosse nos EUA eles saberiam com precisão onde estava a pedra e ainda falariam quanto tempo ela demoraria pra sair. Me deram um analgésico na veia e me mandaram pra casa. Peguei um táxi da Verbania para Gignese que deu 60 Fucking Euros! Cheguei em casa e devido ao frio das 3h da manhã eu fui fazer um chá. Terminei de tomar meu chá sentada na mesa e ao levantar a dor voltou, dessa vez muito mais forte. Eu relutei para ligar para a ambulância novamente, não queria ser levada para aquele hospital da Verbania novamente. Depois de tomar o acetaminophen novamente e perceber que a dor não ia melhorar eu peguei o telefone disquei 118 novamente. E dessa vez não precisou nem de tradutor. Chorando eu falei: Che bisogno di una ambulancia. (Se estava certo? Não sei, mas me deu certo). Eles já tinham meus dados, falaram: CONFERMA TU INDIRIZZO segnora. E em 20 min os mesmos paramédicos da primeira vez estavam aqui. Dessa vez foi diferente, eles disseram que iam trazer os médicos aqui! E depois de 15 min os médicos chegaram mesmo, ao todo tinham 6 pessoas na minha sala. 1 médico, 2 enfermeiros e 3 bombeiros. 


O médico disse que a pedra estava se movendo pra sair e que ia me dar um soro para a dor com paracetamol ali mesmo. Eu pensei: QUIRIDO tá de sacanagem comigo né? Paracetamol é água com açúcar. Por fim tomei o soro e a dor ainda estava muito forte. Parece que serviu para aumentar a dor somente. O bom é que dor de cólica renal não dá para maquiar e não tem como os médicos não perceberem que você está com muita dor realmente. Pois quando você está com cólica renal a sua pressão fica altíssima. Mediram minha pressão e decidiram finalmente pela MORFINA, sagrada Morfina. Se fosse nos EUA, teriam me dado morfina de primeira sem ao menos perguntar nada. Depois da injeção de morfina que me fez ver duendes dentro da sala, a dor finalmente diminuiu e eles foram embora. 

Quanto me cobraram? Até agora nada! 

Nenhum centavo de euro. Nada nada mesmo. Se a conta vai chegar depois não sei. O que sei é que em nenhum momento falaram em pagamento durante as 6 horas que fiquei em “trabalho de parto” de uma pedra. Se fosse nos EUA a primeira coisa que eles iam querer saber é se você tem seguro, qual o tipo de cobertura e já iam te passar um valor absurdo de 6 mil dólares + 2 mil pela primeira ambulância e 2 mil pega segunda (foi isso quo me cobraram quando o Marcelo foi de ambulância pro hospital). Absurdo não? Esse é um dos principais motivos pelos quais eu saí dos EUA: saúde! Lá a saúde pública não existe! E mesmo tendo um plano de saúde Royale pela empresa, eu vivia pagando absurdos co-payments de até 25% do valor total da consulta. 


Por aqui, nada me cobraram e eu acredito que nem vão cobrar. Essas são as vantagens de ser cidadão europeu. Dicas: Saiba o número da emergência: 118 (na Itália) Saiba falar pelo menos um pouquinho de italiano ou uma segunda língua que não seja português. Mesmo sendo parecido com o italiano, eles não entendem português. Ao contrário do que dizem por aí, os italianos não são grossos e gostam de ajudar SIM, então não sinta vergonha ou medo de pedir ajuda. No Brasil (país do calor humano) minha avó faleceu esperando a ambulância do SAMU que nunca veio. Então eles te respeitam independente da sua nacionalidade, raça, cor e por incrível que pareça: Cor de cabelo. 

Quando eu cheguei no hospital havia uma moça sentada numa maca com o namorado dela, ela estava doente, mas parecia bem saudável para falar da vida e do cabelo alheio. Infelizmente o brasileiro tem a quem puxar nesse quesito, os italianos reparam MUITO na aparência das pessoas, principalmente se for algo diferente. Eu estava tão acostumada com a descrição dos americanos que ainda não consigo me acostumar com as “fofoquinhas” e olhares dos italianos pra você quando você é diferente ou tem cara de gringo. Muitas pessoas pensam que eu sou sueca ou holandesa, pelo tom de pele, cor de cabelo e jeito de falar inglês. Por isso qualquer lugar que eu e o Marcelo vamos somos alvo de “fofoquinhas” por parte dos italianos. 

Parece que somos a atração da cidade! Isso aqui no interior claro. Independente do seu status migratório, se você é turista, estudante, morador, residente permanente ou cidadão, o sistema de saúde VAI TE ATENDER. 
É aquela coisa: eles não vão te deixar morrer. Então quando você chegar no pronto-socorro ou precisar de uma ambulância como eu precisei, apenas apresente seus documentos, mesmo que for só um passaporte brasileiro já serve. 

No meu caso eu apresentei o passaporte, a carta de identita e o codice fiscale. 


Em tese se você tem Codice Fiscale (cpf italiano) você paga impostos e se paga você tem direito à saúde pública. 

Espero que esse post tenha sido de muita valia para todos vocês que precisam e buscam essa informação. 

Quando eu criei esse blog minha intenção era de ajudar as pessoas e eu acredito que minhas experiências aqui morando fora ajudam outras pessoas que querem morar fora também. Por isso resolvi fazer esse post.

Beijos


Como é a Imigração na Itália?
Postado por Carol Capel, no dia 29 November 2017
Fala galera, tudo bem?

Resolvi criar um post aqui no blog sobre as imigrações nos lugares. Porque muita gente tem dúvida sobre como é a imigração em determinado lugar e eu também tenho muita dúvida. Qualquer lugar que eu vou viajar eu fico sempre na dúvida de como é a imigração. Por isso, em cada aeroporto que eu pousar agora eu vou fazer um post falando sobre a imigração do local.


Mesmo porque eu procuro essas informações por aí e nenhum blog fala exatamente como é. =(

Posso falar com bastante certeza e totalmente sem entender nada que essa imigração foi a mais estranha que eu já passei na vida. Ao chegar lá, eu e o Marcelo apresentamos apenas o passaporte e falamos: Somos cidadãos mas não temos passaporte ainda. 

O cara simplesmente pegou nossos passaportes brasileiros, olhou pra ver se a foto coincidia com a nossa cara e carimbou e não perguntou absolutamente nada e nem ligou para nós! Além de que eu imaginei que ele iria nos pedir a carta di identita italiana ou algum documento nosso, até mesmo o codici fiscale, mas não! Ele não pediu absolutamente nada. 

Aí você deve estar pensando: Você deu sorte de pegar um oficial de bouas?

Não. Porque nos guichês dos lados todos também passavam e ninguém fazia nenhuma pergunta para eles. 

Chegamos em Milão por volta das 8h da manhã, não sei se o horário influencia alguma coisa nessa situação de imigração. Mas eu acredito que não tenha nada a ver.

Quer saber o que foi mais engraçado ainda?

Como todo e qualquer aeroporto você primeiro passa na imigração e depois passa na alfândega certo? Pois é, foi o que pensamos também. Pegamos as nossas bagagens e o Aladdin e eu já estava com toda a documentação dele preparada para passar na alfândega. E cadê a alfândega?

Não tinha alfândega também e passamos com um CACHORRO na porta na saída do terminal e ninguém ao menos deu-se ao trabalho de conferir os documentos. Aliás, o guichê na saída estava vazio. Se eu quisesse ter trazido um carregamento de linguiça americana na mala, ninguém nem ia se importar. 

Saindo do portão de desembarque fomos pegar o carro e viemos para Piedmont. 

Dizem que a imigração deve depender de quem você é, por oficial é atendido ou até mesmo o horário do dia que você passa por ela, mas eu já ouvi horrores sobre a imigração na Europa e no nosso caso foi tudo muito tranquilo.

Importante: Ao passar na imigração na Itália eu falei em inglês com o oficial e ele me entendeu perfeitamente.

Lembrando: É muito importante que você fale a verdade, somente a verdade, nada além da verdade em qualquer imigração de qualquer país do mundo que você vá viajar, pois assim você evita desentendimentos com a imigração e problemas até com deportação. 

Beijos


As Ilhas de Stresa - O lago Maggiore na Itália
Postado por Carol Capel, no dia 20 November 2017
O lago Maggiore é o segundo maior lago italiano e fica no norte da Itália, pertinho da nossa casa e perto do aeroporto de Milão o Malpensa e a menos de 70 quilômetros do centro de Milão. (a cidade de Stresa tem estação de Trem então dá para chegar lá rapidinho pegando o trem regional. Para entender como faz para usar os trens na Itália, clique aqui
São mais de 30 lindas cidades ao redor do lago e 3 românticas ilhas para você conhecer e desfrutar de um cenário único e pra lá de especial.

Gravamos dois vídeos lá nas ilhas de Stresa: 



Como ir de Milão para o lago Maggiore:
De carro, é só pegar a A8 e a A62 e pagar em torno de € 4 de pedágio.

De trem, saindo da Estação Central ou da Porta Garibaldi, os destinos são: Arona (sobre Arona vamos falar em breve, porque fomos lá e amamos!), Meina, Belgirate (Belgirate não tem nada! Então nem perca seu tempo), Stresa, Baveno e Verbania.

Se você quiser conhecer as três ilhas, é melhor descer em Stresa.

Para conhecer as cidades ao redor do lago, a dica é começar pela mais próxima de Milão, a charmosa Arona.

Os bilhetes custam entre € 6 e € 10 (ida) e não precisam ser comprados com antecedência, você pode comprar ali na hora no guichê mesmo. O preço é sempre o mesmo, comprando com antecedência ou na hora.


Passeio de barco pelo lago Maggiore

São duas as opções de transporte pelo lago: o barco público e os barcos privados.
Os barcos privados que saem de Stresa cobram € 10 pelo passeio para a Ilha Bella e a Ilha Madre e € 15 para fazer as três ilhas: Ilha Bella, Ilha Madre e Ilha Superiore (dei pescatori). Os barcos passam na Ilha Bella e na Ilha Madre a cada hora e na Ilha Superiore a cada 30 minutos. Você decide o tempo que quer ficar em cada ilha. O último barco com destino a Stresa sai às seis da tarde.


Isola Bella – até o começo do século XVII, a ilha, com duas igrejinhas e uma horta, era habitada por pescadores. Em 1632, o conde Vitaliano Borromeo (por esse motivo as ilhas são conhecidas como Ilhas Borroméias) deu início à construção de um majestoso palácio e de um jardim, que levaram mais de 300 anos para serem construídos.
A entrada na ilha Bella é gratuita, no entanto, o bilhete para visitar o palácio e o jardim Borromeo da ilha Bella custa € 15 e estava fechado no dia que fomos. 


Isola dei Pescatori – a única das três ilhas que é habitada. A vila tem pouco mais de cinquenta habitantes e é caracterizada por vielas encantadoras e restaurantes charmosos com vista para o lago.

O Lago Maggiore é um destino turístico muito procurado devido ao seu clima, seus famosos resorts, suas montanhas e suas muitas atrações, tanto do ponto de vista artístico e cultural quanto por suas paisagens. 


É uma linda área situada entre as montanhas que surpreende até mesmo por seus jardins povoados por plantas exóticas de espécies raras que podem viver aqui graças ao clima ameno, tanto no verão quanto no inverno.

Não se esqueça que passear na Itália é mais pra velhinhos, não traga as crianças aqui, principalmente se elas forem cheias de energia porque não tem NADA para elas. É um passeio mais para as adolescentes Tumblr e para adultos. Durante o verão é possível nadar no Lago Maggiore, aí eu acho mais adequado para as crianças. 


Disney’s Hollywood Studios inaugura nova área - Toy Story Land - em 2018
Postado por Carol Capel, no dia 17 November 2017
Fico feliz em saber que da próxima vez que eu for no Hollywood Studios eu não vou ficar 4 horas na fila das únicas duas atrações legais do parque: Tower of Terror e Aerosmith Coaster. Detalhe a gente paga 100 dólares para passar o dia no parque e não tem nada pra fazer. 


Mas a assessoria da Disney no Brasil, que é de lua (vez e outra eles cismam que eu sou "worth" de receber press release) eles, do nada resolve me mandar novidades sobre o mundo encantado. =D

Segue o texto pronto: 

A preparação para a abertura de Toy Story Land no Disney’s Hollywood Studios está na reta final. A nova expansão do parque, que terá 44 mil m², está prevista para abrir ao público já no primeiro semestre de 2018 e "encolherá" os visitantes ao tamanho de um brinquedo, permitindo que eles explorem toda a diversão do quintal do Andy em cenários inspirados nos filmes da série da Pixar Filmes. 

Toy Story Land será a casa de uma das atrações já existentes e mais queridas do Walt Disney World, o Toy Story Midway Mania! Depois do sucesso desta atração - um jogo interativo em 4D que fica dentro do mesmo parque - agora é a vez de ampliar os horizontes e criar um espaço só para Woody, Buzz Lightyear e companhia. O quintal do garoto Andy será a ambientação principal, onde estarão atrações como a “Slinky Dog Dash” e a “Alien Swirling Saucers”.

Na montanha-russa Slinky Dog Dash o visitante é convidado a viver uma diversão tão grande ou maior do que o personagem Slinky Dog, o cachorro de mola do cinema. A sensação será a de virar um brinquedo no quintal da casa de Andy para brincar com os personagens favoritos de Toy Story. Inspirada no clássico brinquedo americano de molas, essa atração vai levar o visitante a experimentar as sensações de todos os percursos que Andy inventou para esticar a mola do cachorro ao máximo: mergulhos, disparadas e fugas.

Outra atração nova é a Alien Swirling Saucers, projetado como um conjunto de brinquedos que Andy obteve do Pizza Planet, tendo como protagonista os simpáticos Aliens verdes que aparecem no filme e vão colocar os visitantes para girar em pratos voadores, ao efeito de sons, música e luzes. Os alienígenas embarcam em seus pires voadores e tentarão capturar os foguetes dos convidados. 

No início de novembro os bonecos gigantes de Jessie e Rex foram os primeiros personagens do filme a serem instalados em um brinquedo na nova área de Toy Story Land. De acordo com o roteiro, quando Andy sai, Rex e Jessie estão instalando o último pedaço de luzes no topo da torre mais alta da cidade de brinquedo de Andy. O dinossauro se enrosca e fica preso na corda de luzes, mas Jessie agarra o final dela para ajudar a salvar Rex e a torre Jenga da queda.


Toy Story Land terá novidades gastronômicas também, como o Woody's Lunch Box, onde Andy usou sua marmita de almoço para criar um restaurante de serviço rápido que terá menu com refeições saborosas e bebidas como soda floats vintage.


Conheça a Laduree no Soho em NYC
Postado por Carol Capel, no dia 15 November 2017
Na nossa última visita à NYC fomos conhecer a tal da padaria francesa Ladurée. Difícil achar as palavras certas para descrever a Ladurée SoHo. A marca, que é símbolo de luxo e sofisticação na elaboração dos doces que são a cara de Paris, inaugurou um belíssimo espaço no bairro chiquérrimo de Nova York. Criada em 1862 na França, a marca conta, hoje, 33 lojas espalhadas por todo o mundo.


A Ladurée já tinha a sua presença consagrada no charmoso Upper East Side de Nova York, mas, agora, você também pode desfrutar da bakery em novo endereço, no Soho. Que é o bairro mais chique de New York. O ambiente é aconchegante e super bem decorado.


A Ladurée SoHo serve desde o café da manhã até o tradicional jantar.

Na minha reunião com as simpáticas gerente e supervisora da Ladurée em Nova York, as francesas Celine e Elisabeth me contaram que o chef Jimmy Leclerc chega ao local 3h da manhã para preparar todos os doces. Não tem coisa melhor que você comer tudo fresquinho e feito diariamente.

A partir das 16h, a fila costuma ser grande, então, minha dica para quem quer apreciar o restaurante Ladurée é fazer reserva com antecedência.

Endereço: 398 W Broadway (entre a rua Watts e Broome St.) no SoHo.

Horário de funcionamento: Segunda a sábado – 8h às 23h
Domingo – 8h às 19h


Como Pegar Trem na Itália
Postado por Carol Capel, no dia
Olá galera, tudo bem?

Inaugurando o primeiro post falando sobre Europa nesse blog! E já vamos começar com a melhor e mais eficaz maneira de se locomover na Europa. Falando sobre trens. Quando eu era criança e frequentava a escolha eu lembro que a professora falava que uma das maneiras de se medir a qualidade de vida e a economia de um país era por sua malha ferroviária e ela tem razão. A Itália é a oitava economia do mundo e aqui pode-se ir para qualquer lugar do país de trem (menos para a cidade onde eu moro infelizmente).


Utilizamos os serviços de trem pela primeira vez aqui na Itália essa semana e vou ensinar algumas dicas para vocês. 

Aqui na Europa, diferente do Brasil por exemplo, as estações de trem não tem catracas, isso significa que você pode entrar e sair do trem sem ao menos precisar comprar um bilhete. Mas aí que está a grande questão. Tudo aqui é baseado na confiança. As autoridades confiam que o cidadão irá comprar o bilhete antes de entrar e o cidadão, por sua vez, sabe de suas responsabilidades em comprar um bilhete de trem toda vez que for viajar. 

Você não passará por nenhuma catraca e ninguém virá conferir dentro do trem se você está com o bilhete em mãos. Mas seja honesto e compre o bilhete antes de entrar no trem. 

Como comprar o bilhete?

Existem diversas formas de comprar o bilhete do trem, você pode comprar direto do site do Trenitalia ou até por qualquer intermediário que venda o bilhete na internet. Você também pode comprar na bilheteria na estação na hora que você chegar lá. Mas eu estou usando um aplicativo que estou amando, que é o GoEuro. o GoEuro é um aplicativo e website super prático que baixei no meu celular. Você pode acessar pelo site ou pelo aplicativo. 


O que eu mais gostei desse site é que você pode comparar os preços e as rotas e escolher a que mais agrada. Por exemplo, existem três trens que fazem o trajeto: Verbania - Milão. Então nesse site você consegue comparar as rotas, os preços e tudo mais. 

O valor do bilhete normalmente depende do tamanho da rota. Ou seja, quanto maior a rota, mais caro o bilhete, mas você também pode pegar algumas promoções dentro do aplicativo. Então fique ligado nas notificações que ele envia. 

Por exemplo: 

De Milão para Roma: 91 Euros (3h20min de viagem)
De Veneza para Roma: 69 Euros (3h de viagem)

Como embarcar?

Para embarcar nos trens você tem que ficar muito atento aos auto-falantes e às placas dentro das estações. Pois elas mostram quais trens e quais plataformas irão parar os trens. Fique atento pois as plataformas às vezes só são confirmadas faltando alguns minutos para o trem parar. 

Preste atenção nessas placas - Foto Stazione Milano Porta Garibaldi
Confirme o número do seu trem (escrito no bilhete) no painel para ver em qual plataforma o trem irá estacionar e corra para pegar seu trem. 

Cuidados:

Na grande maioria dos trens da Itália, quando você está se aproximando da estação, ele NÃO COSTUMA avisar qual estação você está. Se você pegar o trem REGIONALE, ou seja, o trem que para em toda e qualquer estação pequena, você tem que prestar MUITA ATENÇÃO para não acabar descendo no lugar errado ou perder a sua estação de descida. 

A melhor maneira de fazer isso é ir acompanhando pelo Google Maps. Mesmo que seu celular não tenha rede na Europa ou esteja sem chip, o Google Maps vai funcionar sempre se você colocar seu celular no modo avião. Você consegue acompanhar o deslocamento do trem e dessa forma você não vai perder a estação que precisa descer. 

Beijos

 
Comemore o 89° Aniversário do Mickey!
Postado por Carol Capel, no dia 12 November 2017
O personagem mais emblemático da Disney fará visitas surpresa no Chile, Inglaterra, China, Japão, entre outros destinos

Lake Buena Vista, 10 de novembro de 2017. Às vésperas de seu aniversário, Mickey Mouse surpreenderá alguns de seus maiores fãs em oito lugares do mundo: antes do grande dia, em 18 de novembro, a maior estrela Disney viajará para emocionantes lugares, como Chile, Canadá, Japão, China, Inglaterra e Estados Unidos.



Esses momentos mágicos serão capturados e compartilhados nos canais de televisão Disney e nas páginas do Facebook de Mickey Mouse, Disney Channel , Disney XD e Disney Junior , onde os fãs poderão curtir novos conteúdos durante todo o mês e estão convidados a participar da diversão nas redes sociais usando a hashtag #HappyBirthdayMickey.

Para homenagear tão ilustre aniversariante, os sites Disney publicarão vídeos, imagens, histórias, receitas e outros conteúdos relacionados a Mickey Mouse, antes e no dia de seu aniversário.

Os fãs também vão poder participar da festa e até dar os parabéns pessoalmente. Em todos os parques Disney no mundo haverá muitas comemorações. A começar pelo broche comemorativo “Feliz aniversário, Mickey!”, que será distribuído aos visitantes de todos os parques. Em Orlando, no Magic Kingdom, personagens e artistas dançarão uma música especial durante o show Move It! Shake It! Dance & Play It!. Opções em edição limitada de itens de compras e comidas temáticas estarão disponíveis nas lojas e nos pontos de alimentação. E para registrar momento tão mágico é só procurar por espaços indicados para fotos.

Curiosidades sobre o aniversariante do ano:

Os primeiros clubes do Mickey Mouse foram organizados em salas de cinema a partir de 1929. Em 1932 havia mais de 800 capítulos com uma participação total de mais de um milhão de crianças.

A voz original do Mickey era realmente a do próprio Walt Disney.

Para as celebrações do 60º aniversário, uma área do Magic Kingdom, perto de Fantasyland, foi criada e nomeada Mickey's Birthdayland.

No Magic Kingdom, é possível tirar fotos com o aniversariante no Town Square Theater, como se estivesse em seu camarim.

Ele ainda participa das paradas Festival of Fantasy Parade e da Move it! Shake it! Dance & Play it! e do show Mickey’s Royal Friendship Faire, no palco localizado em frente ao Castelo da Cinderella, todos no Magic Kingdom.

No Disney´s Hollywood Studios, ele é maestro do show de luz, som e fogos Fantasmic! e também pode ser visto no Red Carpet Dreams.

O primeiro passeio temático do Mickey em um parque da Disney – “Mickey and Minnie’s Runaway Railway” - chegará ao Hollywood Studios com uma nova história original e uma linda canção temática.

Já no Epcot o Mickey está disponível para fotos, selfies e autógrafos no Epcot Character Spot e, no Disney´s Animal Kingdom, com seu traje safári, recebe ao lado da Minnie, no Adventurers Outpost.

Texto pronto da Assessoria de Imprensa da Walt Disney World no Brasil. 

Beijos